Comunicado – SOS Quinta dos Ingleses. NÃO HÁ COINCIDÊNCIAS – “TEMPO DE AGIR”





1º- No dia 12 de Fevereiro de 2021 foi publicado no site do Parlamento a proposta do PAN para colocar a Quinta dos Ingleses como “Paisagem Protegida”; https://www.parlamento.pt/.../DetalheIniciativa.aspx...


2º- No dia 01 de Março de 2021 o PAN requeriu à Comissão do Ambiente, uma audiência quer ao “SOS Quinta do Ingleses”, quer ao Presidente da Câmara Municipal de Cascais, Carlos Carreiras, com carácter de urgência;





3º- No dia 15 de Março de 2021 a Câmara Municipal de Cascais, através do seu vice presidente coloca em consulta pública a última fase do processo.

https://www.cascais.pt/.../consulta-publica-operacao-de...


Em relação ao ponto um, queremos dizer que louvamos a iniciativa do PAN, que prova que é possível salvar a QUINTA DOS INGLESES e que o Executivo da Câmara Municipal de Cascais (PSD/CDS), liderado por Carlos Carreiras, está mais preocupado com a defesa dos interesses imobiliários do que nos interesses dos munícipes e dos bens naturais do concelho que tanta falta fazem ao Ambiente;


Em relação ao ponto 2, queremos informar que aceitámos prontamente o convite e agora só temos que esperar que a Comissão do Ambiente aprove a audiência. Algo que desejamos.

Em relação ao ponto 3 queremos informar que não acreditamos em coincidências.

Ou seja, depois da proposta do Partido Animais e Natureza, o executivo da Câmara Municipal de Cascais parece que se apressou em fazer a consulta pública para aprovar o loteamento e assim avançar com a destruição da Quinta dos Ingleses, de todo o seu legado histórico e natural e, obviamente, da qualidade de vida dos moradores de Carcavelos e de todos aqueles que frequentam a Praia de Carcavelos.


Mais não seja porque ainda não há “Direitos Adquiridos” e caso a Quinta dos Ingleses seja declarada “Paisagem Protegida”, o poder de negociação da Alves Ribeiro e da St. Julians ficam muito mais reduzidos para a consequente expropriação.


Recordamos que, por muito que Carlos Carreiras e a coligação PSD/CDS afirmem valores significativos, até à data é impossível de saber o valor exacto de expropriação, ainda mais quando poderá ser declarada “paisagem protegida”, poderão negociar permutas e haverá, certamente, abertura de todas as partes. Mais não seja para minorar os prejuízos de todas as partes, através dum processo negocial onde esteja em cima da mesa a protecção ambiental.


Sabendo de antemão a posição:

a) Do PSD e do CDS que só se preocupam com a construção desde o início dos mandatos de Carlos Carreiras. Ou seja, querem mais betão. A prova disso mesmo está na “coincidência” das datas acima mencionadas;


b) Que o PAN, o PCP, o BE e o PEV defendem a manutenção da Quinta dos Ingleses;

c) Que a Iniciativa Liberal através do Núcleo de Cascais já tornou público que entende os dois lados e defende a majoração da zona arbórea da Quinta dos Ingleses. Partimos do princípio que seria a zona onde defendemos o Parque Urbano ao estilo do Parque da Cidade do Porto;


d) Resta ao PS, que por coincidência é o partido do Governo – que cabe definir a área de “Paisagem Protegida” – decidir se está realmente ao lado da população local e do Ambiente, ou se afinal, aquilo que propaga não passa de pura demagogia e que está e estará ao lado do Oligarquia, do Cooperativismo e do “Centrão” que tanto afirma não estar e ser contra.

Dito isto, passamos grande parte da responsabilidade para o Deputado Socialista – que por coincidência, também foi eleito como deputado na Assembleia de Freguesia na União de Freguesias de Carcavelos e Parede e deputado na Assembleia Municipal de Cascais, Miguel Costa Matos.

Miguel Costa Matos é também o actual presidente da Juventude Socialista (JS) onde o seu slogan é “É TEMPO DE AGIR” e tem vindo a afirmar que é tempo de passar das palavras aos actos e que o Ambiente é uma das suas principais causas.

Ora, na sua Moção, ponto 4, “Agir por um Planeta Sustentável”, Miguel Costa Matos, afirma que “Devem ser tomadas, desde já, medidas, políticas de adaptação às alterações climáticas que protejam a sociedade portuguesa das inevitáveis e já visíveis consequências climáticas”. Acrescenta ainda que “é crucial que as medidas tenham efeitos tão imediatos quanto possível para mitigar as consequências futuras de uma resposta tardia”.


Para a QUINTA DOS INGLESES, para a Praia de Carcavelos, para os moradores de todo o concelho de Cascais e arredores, a RESPOSTA É AGORA. É preciso “assegurar a qualidade de vida das gerações vindouras”.

Recordamos e reforçamos o ponto de ordem da sua Moção: - “Potenciar a bio e geodiversidade do nosso território, assim como a protecção do património cultural”.

Tudo o que o “SOS Quinta dos Ingleses” defende para o local.

Dito isto, afirmamos, É TEMPO DE AGIR. É tempo de proteger o Ambiente. É tempo de de salvar a Quinta dos Ingleses através da defesa duma “Paisagem Protegida”.

É tempo do Deputado do PS, o Governo PS e o Núcleo do PS de Cascais agirem. Está na sua mão, na sua consciência, a decisão e opção de escolherem entre a construção desenfreada ao lado do PSD/CDS ou defenderem os interesses do Ambiente ao lado dos cidadãos do concelho de Cascais e dos restantes partidos políticos.


É tempo de invocar Fundos Europeus, o Governo e a Autarquia de Cascais para usarem parte do seu Orçamento para proteger a Quinta dos Ingleses.

Este é o momento. Esta é a altura de proteger a Quinta dos Ingleses. É o tempo do deputados do PS e Presidente da JS, Miguel Costa Matos, mostrar que está ao lado dos seus conterrâneos (e não da escola em que estudou), é tempo do Governo PS marcar a sua posição.

É pois, tempo de agir. Aliás é imprescindível fazê-lo, independentemente da opção partidária, por nós, pelos nossos filhos e netos, pelo ambiente, por Carcavelos, por Cascais, pelo futuro – porque Quinta dos Ingleses só há uma e NÃO HÁ PLANETA B!

Constituição da República Portuguesa

Artigo 66.º - (Ambiente e qualidade de vida) 1. Todos têm direito a um ambiente de vida humano, sadio e ecologicamente equilibrado e o dever de o defender. 2. Para assegurar o direito ao ambiente, no quadro de um desenvolvimento sustentável, incumbe ao Estado, por meio de organismos próprios e com o envolvimento e a participação dos cidadãos:

a) Prevenir e controlar a poluição e os seus efeitos e as formas prejudiciais de erosão; b) (…) c) Criar e desenvolver reservas e parques naturais e de recreio, bem como classificar e proteger paisagens e sítios, de modo a garantir a conservação da natureza e a preservação de valores culturais de interesse histórico ou artístico;”





SOS Quinta dos Ingleses - #salvemapraiadeCarcavelos. Parque Urbano Sim Betão Não

Movimento SOS QUINTA DOS INGLESES - Carcavelos SOS Quinta dos Ingleses instagram.com/sos_quinta_dos_ingleses